terça-feira, 20 de julho de 2010

Eleições

O esquema de governo aqui no país é diferente do Brasil.
A Austrália é uma federação e uma monarquia constitucional. Existe um vínculo ainda hoje com a Inglaterra e a Rainha Elizabeth II é uma das chefes do executivo do país.

A nível nacional, as eleições são realizadas a cada 3 anos, onde são preenchidas as vagas para o Parlamento. Também existe votação a nível estadual em períodos diferentes.
Existem ainda uma série de particularidades que eu não vou entrar em detalhes, até porque ainda não entendo muito bem como funcionam.
Mas uma curiosidade interessante é que o Primeiro Ministro pode "chamar" as eleições no momento em que achar necessário.

Em termos de partidos políticos existem vários, mas dá para dizer que dois deles são realmente significativos: Australian Labour Party e Liberal Party of Australia.
O partido atualmente no comando é o Labour (ou partido do trabalho), porém há algumas semanas atrás, o primeiro ministro da Austrália, Mr. Kevin Rudd, foi afastado do cargo pelo partido e substituído pela Ms. Julia Gillard, que tornou-se a primeira mulher a comandar o país.
Isso aconteceu porque as políticas e posturas do Mr.Rudd estavam abalando a intenção de voto dos eleitores e antes de chegar mais próximo das eleições o próprio partido deu um chega prá lá nele.

As maiores broncas em relação ao Rudd eram a pouca ação para conter barcos de imigrantes clandestinos, uma nova política para super-taxação do setor de mineração e a visão da "Big Australia" incentivando cada vez mais a entrada de gente através do processo de imigração.
A Julia Gillard entrou firme com o discurso para resolver todos estes problemas. Já largou falando em fazer um centro para refugiados fora do país e desta forma evitar que os clandestinos queiram se aventurar vindo para cá. Aliviou a pressão sobre taxas na mineração e disse que não quer uma "Big Australia" lotada de gente e sim um país sustentável ao longo dos anos.

Com isto, a popularidade do Labour Party, que vinha despencando, deu uma segurada.

Neste final de semana, a primeira ministra anunciou a "chamada" para as eleições, que serão realizadas em 21 de Agosto.
É isto mesmo, a campanha começa agora e vai durar pouco mais de um mês.
Apesar das notícias na TV comentarem muito sobre o assunto, felizmente ainda não apareceu nada como a "propaganda política obrigatória".

A campanha pelo jeito é muito parecida com o que vimos no Brasil.
Beijar criançinhas, cumprimentar velhinhos, abanar para o povo e obviamente fazer promessas de campanha.
As pesquisas (também tem aqui) apontam algo do tipo 52% para o Labour e 48% para o Liberal, e ambos os candidatos reconhecem que a disputa será difícil.

Conforme a campanha pré-eleições for avançando eu vou passando uma idéia de como é.



Notícias do fim de semana

No sábado passado após o almoço, eu e a Carla resolvemos ir até Nothbridge para comprar algumas coisas no Kakulas Bros, onde se consegue achar produtos brasileiros além de coisas do mundo todo.
Chegando lá perto, haviam viaturas e guardas desviando o trânsito por toda a volta da estação do metrô, que fica colada ao centro de Perth.
Tivemos que fazer uma volta para chegar onde queríamos. Após estacionar o carro, fomos caminhando em direção a Northbridge e ainda comentamos de toda aquela movimentação da polícia e um monte de gente olhando.
Ficamos imaginando que poderia ser algum evento - coisa comum de ser realizada naquela região - ou ainda algum acidente, coisa que de maneira nenhuma nos interessava.
Comentamos que certamente iríamos ficar sabendo do que se tratava na hora do "Seven News" (que passa na TV as seis horas, mas no canal Seven...).

Fomos até o Kakulas, compramos mistura de pão de queijo e farofa da Yoki e em seguida (seguindo recomendação da Giovana) uma passada rápida para conhecer o museu de Perth e a biblioteca, onde paramos para tomar um café.
Aliás o museu vai merecer uma outra visita com mais tempo para ver tudo.

Depois do café ainda caminhamos um pouco ali por aquelas bandas aproveitando o tempo bom do final da tarde de sábado.

Chegando em casa, relaxamos para tomar um chimarrão e assistir o jornal.
Foi aí que ficamos sabendo o motivo da confusão no centro de Perth. Um doido estava caminhando sobre um outdoor, bem ali no centro, gritando, pelado e armado. Esclarecendo: armado no sentido literal da palavra... A polícia precisou de quatro horas para tirar o cara de lá. Tinha até atiradores de elite prontos para "abater" o sujeito caso ele resolvesse usar a arma (que mais tarde foi confirmada como sendo uma réplica).

Mas o problema maior da polícia foi conter uma galera que estava na volta gritando "Pula! Pula!".
Só pararam quando o comandante usou o megafone para dizer que eles iriam presos caso não calassem a boca.

No final das contas levaram o cara para o hospital, que foi identificado como drogado e com problemas mentais.

Rendeu três dias nos noticiários...





Vista de ruas em Northbridge


Garota propaganda do quiosque de produtos brasileiros no Kakulas


Vista parcial do museu de Western Australia


Galeria de Artes de WA

Um comentário:

Joice disse...

Beto, que coincidência!
Semana passada tinha um cara em situação semelhante à beira da 116 em Canoas, só não tava armado, e tava em cima de uma marquise, às 07 da manhã com um frio de 3 ou 4 graus...
Tbém drogado e doidão! (mas tiraram-no a tempo)
Boa semana!
Joice