terça-feira, 10 de agosto de 2010

Achados!

Neste final de semana a Carla e eu saímos para dar uma volta despretensiosa no centro de Perth.
Os guris ficaram em casa, pois não tem mais paciência para acompanhar nossos programas. Ficaram com a opção de esquentar uma lasanha ou sair para pegar algo para o almoço.

No centro de Perth caminhamos um pouco, almoçamos e decidimos ir até Fremantle, procurar algo nas lojas de souvenirs para levar ao Brasil. Depois fomos tomar um café.

Andando por lá e entrando em lugares que nunca tínhamos ido antes, acabamos por fazer novas descobertas.
Em uma lojinha do Fremantle Market encontramos Fanta Uva e em um pequeno shopping ali perto achamos um açougue que vende coração de frango, e ainda por cima bem barato. Pronto tínhamos ganho o dia e no domingo o tradicional churrasco já incluiu coraçãozinho assado para o aperitivo.


O Cliente Nem Sempre tem Razão
Lembro que ainda no Brasil volta e meia se dicutia sobre o fato de colocar o cliente acima de tudo nos negócios, com algumas correntes contestando esta idéia de vez em quando.
Claro que a gente sabe que é importante deixar o cliente feliz e pensar nele em primeiro lugar, principalmente quando a concorrência é grande e o dinheiro é curto.

Mas aqui a coisa não é bem assim.
Tudo bem, o cliente é importante mas isto não quer dizer que as pessoas que atendem em lojas ou serviços façam dele o "Rei".

Eu nunca fui mal atendido, mas o atendimento não é o mesmo que estávamos acostumados no Brasil.
Vai depender da loja, do tipo de negócio e principalmente da pessoa que atende.

Em bancos e revendas de automóveis, por exemplo, o atendimento é excelente.
Em lojas é mais ou menos, e vai depender do atendente.
Em postos de gasolina, fast-foods e grandes lojas de departamentos o atendimento é só o essencial para que o cliente faça suas compras e vá embora sem maiores problemas.

Ah, depende do horário também.
Eu queria cortar o cabelo na semana passada e cheguei por volta de 16:35 (eles fecham as 17:00). E era sexta-feira. Só eu mesmo para fazer uma destas...
O cara educadamente pediu desculpas mas disse que não poderia me atender pois recém tinha começado a cortar o de um outro cliente e não daria tempo até a hora de fechar.
E isto que eles cobram 25 dólares por um corte.

Na minha opinião esta é uma das grandes diferenças aqui.
O trabalhador faz aquilo o que é necessário durante o expediente. Ninguém se mata fazendo hora-extra. Alguns minutos antes de fechar, o povo já começa a baixar as portas.

Agora se eles estão certos ou errados em fazer isto já é outra questão.
O negócio é a gente se acostumar e entrar no esquema.
A lado bom disto é o de ter menos stress e aproveitar mais a vida.
E este é o lema do australiano.


Do-It-Yourself
De um lado se tem bens de consumo com preços muito acessíveis e de outro os valores de serviço e mão-de-obra sempre altos.

Mesmo assim os prestadores de serviço sempre tem as agendas cheias e conseguem viver muito bem fazendo o que fazem.
Aqui também entra a teoria do Aussie de aproveitar o tempo livre que tem, então para fazer um serviço muitas vezes simples, prefere contratar alguém, mesmo pagando caro por isso.
Tem prestador de serviço prá tudo: desde o encanador, até o jardineiro, passando pelo limpador de forno (é isto mesmo, se o seu forno está um nojo é só chamar os caras que eles limpam).

Mas considerando o valor dos serviços, muita gente opta pelo "faça você mesmo" e o mercado para este tipo de "hobby" é muito grande.
As lojas tipo Bunnings ou Mitre10 tem de tudo o que o *bloke australiano precisa para fazer as coisas por conta própria. (*bloke = cara ou camarada)

É só ter algumas habilidades básicas, um pouco de tempo livre e vontade de aprender que consegue se resolver muita coisa e economizar bastante.

Um exemplo: as torneiras da área de serviço aqui em casa estavam pingando. Bastante. A ponto de encher a paciência.
Chamar um encanador iria custar por baixo uns 150 dólares. Considerando que deveria ser um serviço fácil de fazer é o tipo de coisa que dói no bolso.

No Brasil eu faria o conserto sem pensar duas vezes, mas aqui a gente tem que aprender primeiro como as coisas funcionam. Depois de algum estudo descobri que as torneiras daqui seguem o mesmo padrão e que na Bunnings tem vários kits para conserto de torneiras.
No final das contas gastei 3 dólares com o kit de reparo, mais 10 com uma chave de canos e uns 20 minutos para fazer o reparo.

Outro exemplo: já que comentei sobre o corte de cabelo, depois que o cara me "dispensou" resolvi entrar para o Do-It-Yourself no corte de cabelo também.
No Brasil estava acostumado a pagar 10 pilas prá cortar o cabelo no Totonho, meu barbeiro oficial por décadas. É eu não vou em cabeleireiro, vou no barbeiro mesmo e o Totonho é daqueles tradicionais, só fala de futebol e mulher, e tem um rádio velho que só pega AM sintonizado na gaúcha... eh eh eh

Bueno, olhei alguns vídeos no Youtube sobre dicas de como cortar o cabelo, então resolvi encarar e procurar uma daquelas máquinas. Comprei uma da Remington, semi-profissional, com vários tamanhos de pentes, que custou a bagatela de 24 dólares.
Criei coragem, passei as dicas básicas prá Carla, assumi o lugar na cadeira e ela começou o serviço. Vai daqui, vai de lá e aos pouquinhos a coisa foi tomando forma. Fiquei bem apresentável.
No embalo já chamei os guris que também entraram na onda do corte de cabelo em casa. Ainda prá encerrar cortei as pontas do cabelo da Carla.
No final das contas uma economia de no mínimo 100 dólares e agora temos a "tecnologia" para fazer nas próximas vezes.



De pijamas e cabelos cortados, esperando pela janta...



Fiquei devendo da última vez uma foto do Gabriel na apresentação da escola.
Vai para as avós, tias, dindas e outras fãs...




Esta nossa foto no San Churros vai em homenagem a nossa amiga Ana,
grávida e cheia de desejos de comer alguma coisa com muitas calorias eh eh eh


3 comentários:

Ana Corrêa disse...

Não creiooooooooo, agora fiquei mais desejosa ainda! Olha se não vier um churros daí pra mim na viagem, pode ser esmagadinho mesmo, o bebê vai te cobrar isso pro resto da vida dele, imagina o tadinho ou tadinha com cara de churros, hahahah!
Bjão pra vcs!
Saudades!
Que Deus os abençoe sempre com muita saúde e alegrias, neste novo mundo de vocês!

izabel disse...

Muito bem família, acho que vou morar ai, afinal chega de streesss,rsrsrsr, aqui é só correria,e vivemos querendo agradar a todos, ai acabamos de esquecer o que realmente importa,nós mesmos,heheh, bjo.

Seu Lê disse...

Beto, se tu precisar, tenho fotos do corte de cabelo caseiro para ilustrar teu blog....
Ali na padaria casa do pão, as vezes tem mini churros, bem bonzinhos....
Está começando a ficar difícil de achar gente por aqui para trabalho pesado tb, e aqui ainda não temos todas as maquininhas....poderias trazer uma hobbycat daí...